Arquivo mensal: março 2016

REPÚDIO À VIOLÊNCIA CONTRA A PUC-SP

Na segunda feira (21/3) à noite nossa PUC foi alvo de lamentáveis cenas de violência.

Na Rua Ministro Godoi, a partir das 19hs, em frente ao Edifício Bandeira de Melo (Prédio Novo), um grupo de aproximadamente 100 jovens iniciou ato a favor do impeachment da Presidente Dilma em torno de um caminhão de som, manifestando-se com discursos e músicas.

Por volta das 20:30hs outro grupo de estudantes da PUC postou-se na mesma rua, a cerca de 50m do caminhão de som, manifestando-se com palavras de ordem contra o primeiro grupo.

A Polícia Militar posicionou-se entre ambos os grupos para evitar confrontos. Até então, embora em clima tenso, as manifestações eram pacíficas.

Pouco depois das 21hs o grupo a favor do impeachment, que se reduzira a cerca de 30 jovens, se afastou do local. Os estudantes do segundo grupo, cerca de 120 ainda contidos em seu espaço pela Polícia Militar, permaneceram na rua, manifestando-se. Poucos minutos depois, a Polícia Militar unilateralmente avançou contra esse grupo, lançando bombas de efeito moral, gás pimenta e balas de borracha, provocando tumulto e ferindo estudantes, que foram atendidos no Ambulatório da PUC. Há testemunhos de que os policiais atiraram também contra estudantes e professores que assistiam a tudo das sacadas dos andares do Prédio Novo.

O avanço da Polícia Millitar contra os estudantes e contra a Universidade mostrou-se inteiramente arbitrário e unilateral, violando o direito a manifestação pacífica.

Declaramos nossa profunda indignação contra essa violência de alto risco; pior ainda porque originada de uma corporação que deveria estar ali para cumprir o papel inverso: o de garantir a ordem pública e o respeito à Constituição e às leis.

Consideramos uma violência institucional inaceitável a agressão dos policiais contra o prédio da Universidade: trata-se de um atentado à sua autonomia, que se torna agora ainda mais preocupante à vista da delicada conjuntura política do País.

A violência não pode ser tolerada. Repudiamos a ação da Polícia Militar. Defendemos antes e defendemos ainda o direito de expressão, de manifestação e o direito à paz. A universidade é espaço democrático de debate e crítica e almejamos que nossa comunidade, dentro e fora de seus muros, tenha seus direitos constitucionais garantidos.

São Paulo, 23 de março de 2016
Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Anúncios

Platão e Nietzsche: diferenças

plato_1979-09-27810f3144b20258f3f79c08bcccc4e3db (1)

Convidamos a conferência com o Professor Angelo Marinucci (Itália), tratando do tema “Platão e Nietzsche: diferenças”, no dia 29/03/2016 (terça-feira), às 19h, na sala 500b, Edifício Bandeira de Mello, campus Monte Alegre, PUCSP. 

Imagens: Platão, por David Levine. 
Nietzsche, por Cássio Loredano. 

Conferência com José Luís Câmara Leme

O GT de Ética e Filosofia Política da PUCSP e o departamento de Filosofia convidam para a conferência com o professor José Luís Câmara Leme, da Universidade Nova Lisboa,  (Portugal),  no dia 21/3/16 (segunda-feira), às 19h30, sobre o tema “O progresso das ciências e as grandes tempestades”, no auditório 117-A (1º andar), Edifício Bandeira de Mello, PUC-SP, campus Monte Alegre.  

Aula inaugural da graduação em Filosofia da PUCSP

A coordenação do curso de Filosofia da PUC-SP convida a todos(as) para a aula inaugural do semestre seletivo 2016, com a palestra do Prof. Dr. Edson Teles (UNIFESP) tratando do tema “Democracia e estado de exceção: transição e memória política no Brasil e na África do Sul”, a realizar-se na data de 16/03/16, às 19h, no auditório da APROPUC – Rua Bartira, 407 – Perdizes, São Paulo – SP.

 A conferência tratará do livro recentemente lançado pelo professor, que também debaterá com os discentes sobre a pesquisa em Filosofia no Brasil.